Quando há um fetiche, o objeto inanimado ou parte do corpo humano agem como uma necessidade do indivíduo, podendo ser a única maneira de se excitar ou atingir o orgasmo. Na fantasia, isso não acontece.